domingo, 28 de novembro de 2010

Prólogo

(esta história ainda não tem nome e ainda não está pronta. Na verdade eu parei de escrever ela por falta de tempo, mas já estou voltando. Esta é só uma parte da história e lá ainda não tem um esqueleto pronto, e quem quiser me ajudar dando comentários, dicas ou ate mesmo criticas serão bem vindas. Pôpo).

-As estrelas brilham como seus olhos ao e verem.

Eu sabia que era verdade, mas não podia admitir isso a ele. Victor estava segurando meu rosto, era muito difícil mentir para aqueles olhos penetrantes.

-Não é verdade- eu menti -Não podemos mais ficar juntos, nosso amor é um veneno para mim. Esta me matando por dentro. Ficar perto de você dói muito, mas ficar longe também.

Eu tentei tirar meu rosto de suas mãos, mas ele era muito forte.

-Então se entregue a mim e nunca mais sentirá esta dor. Eu estou tem implorando, eu só quero o seu bem, meu amor.

E foi assim que eu acabei morrendo para a minha família e para os meus amigos, me tornando algo repugnante para eles e para o mundo.